quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

E agora um clássico: Arcimboldo


Ver notícias da última exposição (acho eu) aqui

6 comentários:

Ka disse...

Sabes que gosto imenso dele apesar de não ser conhecedora profunda da sua obra mas acho fabulosa a imaginação que ele tem e espanta-me que ele consiga ter a capacidade de fazer o que faz.

Beijos

Mocho-Real disse...

Boa tarde.
É com o maior gosto que venho conhecer este seu espaço, retribuindo a simpatia da sua visita ao Sino da Aldeia.
E aqui chegado, nada melhor do qye deparar com um clássico, e que clássico!
Arcimboldo, para mim, esteve claramente acima do seu tempo. Nada ligado à Igreja, há 500 anos era difícil encontrar um artista que de um modo ou outro não estivesse, este mestre italiano foi em minha opinião um precursor do moderno surrealismo.

Não se trata apenas de usar flores e frutos para pintar figuras humanas, isso já o faziam os romanos, mas sim de criar uma nova técnica e de inovar conceitos de formas, ousando fazer o incompreensível e o absurdo para a época. Tanto assim que só no século XX se lhe deu o reconhecimento do mérito da sua obra.
Por certo, para a liberdade de expressão do artista muito terá contribuído o facto de ter vivido muitos anos da sua carreira junto da corte da Boémia, em Praga.

Este quadro, creio que se chama "O Bibliotecário", nunca o vi ao vivo, mas as suas estações do ano, que estão no Louvre, são na realidade deslumbrantes.
E pensar-se que tudo isto foi realizado há cerca de 450 anos!

Agora, quem pede desculpa pela extensão do comentário sou eu. Entusiasmei-me.

As minhas melhores saudações.
Jorge G.

Leonor disse...

Ka
também sou grande apreciadora. acho verdadeiramente interessante esta capacidade de junção de elementos...
bom fim de semana

Leonor disse...

mocho-real
Bem vindo ao Registos. Estou completamente de acordo com a sua opinião em relação a Arcimboldo. É claramente um pintor acima do seu tempo e justamente por isso o facto de ser apreciado e "reabilitado" mais tarde.

Este quadro é efectivamente "O Bibliotecário", de 1566. Nas inúmeras representações artísticas de bibliotecas/ arquivos/ livros/ documentos, este é sem dúvida um dos primeiros que me vem à cabeça.

bom fim de semana

Gi disse...

Pois eu aprecio-o por demais. Não sei se conheces mas se não conheces és capaz de gostar do Andre Martins de Barros, passou pelo meu canto a 11 de Setembro, tem trabalhos que são uma nitidamente influenciados pelo Arcimboldo . Vê aqui o capítulo que dispensa aos livros

http://pagesperso-orange.fr/andr.martinsdebarros/galerie/g_images/PIECE05/eru_1_en.htm

se não conseguires vai ao meu blogue e tira o site dele para explorares.


beijinhos


Tens um prémio para receber lá no meu canto

Leonor disse...

Olá Gi

não, não conheço, mas vou já espreitar. obrigado por mais esta informação.

também vou espreitar a outra

um beijinho