sábado, 17 de maio de 2008

5 comentários:

Marta disse...

Este post está vazio, certo? Eu pelo menos não vejo nada!

Leonor disse...

certo, não sei o que aconteceu... obrigado, tb me estava a parecer estranho qualquer coisa, mas não percebia exactamente o quê. agora fica assim, já cá tem dois comentários...

bom fim de semana

considerem um teste à imaginação

Antunes Ferreira disse...

Nisto de ter sido a pensar que morreu um burro há uma tal carrada de maldade que me atreveria a dizer que é, antes, um camião TIR com atrelado. Para não falar num comboio de mercadorias com 34 vagões.

Burro é manteiga em Italiano, assim aparentado com a beurre dos gauleses. A anedota calina do portuga (que deu o salto para França) que comentou que os francius eram mesmo burros. Chamar pain ao pão, ainda vá que não vá. Mas chamar beurre à manteiga, chiça, só eles...

Recordo ainda aqui a afirmação de que para ser burro só lhe faltam as penas... Mas...

Pronto. Os asnos pensam? Morrem por isso, ou por causa disso? Entre a enormidade de burros que andam por aí, (como dizia o sr. Lopes que ia andar), a maioria falece de outras maleitas. Há, claro, os que se finam por pensar. Quando as células cinzentas se transformam em células côr-de- burro-quando-foge. Mas em tamanha multidão, quem os contará?

Oliver Pickwick disse...

Mais uma vez o player cobre parte dos post. Justo o final.
Querida Leonor, já que não quer redimensionar o tamanho do player, transfira-o para o último slot da página, lá embaixo.
É só copiar e colar o script no último slot. A seguir, você elimina este.
Desculpe por tocar de novo no assunto, mas este player sempre atrapalha seus artigos.
Um beijo!

BlueVelvet disse...

Mesmo sem ouvir, como conheço, basta-me recorrer à imaginação:)))
Bela escolha.
Veludinhos azuis