sábado, 3 de maio de 2008

Alive and kicking – Os Rolling Stones, Scorcese e a história da música, afinal uma parte da história do nosso tempo

Desde o início do seu blog que tenho dito à Paula que as suas críticas de cinema são muito boas, já me tendo levado a ir ver filmes que, à partida, não tencionava.

Ontem, ao ler a crítica ao filme Shine a Light, onde Scorcese filma os The Rolling Stones, permiti-me, pela primeira vez, discordar de uma perspectiva da carreira Scorcesiana talvez menos conhecida: a dos seus registos de bandas/ músicos. Conheço apenas três: a The Band – The last Waltz, Bob Dylan – No direction home e agora os Rollong Stones – Shine a light, que ainda não vi (se alguém conhecer mais, por favor diga-me). Todos têm, quanto a mim, uma mesma abordagem, uma escolha criteriosa do tipo de músicos e do tipo de registos que se quer passar à história.

Para mim, que não concebo viver sem música, é sem dúvida uma parte da minha história.

Mas voltando aos Stones, banda da qual sou fan, aqui fica um registo deles que sempre apreciei: You can’t always get what you want

E como continua o refrão:
but if you try sometime you find
You get what you need
para os mais exigentes, aqui fica a letra completa.


[chorus]I saw her today at a reception
A glass of wine in her hand
I knew she would meet her connection
At her feet was her footloose man
No, you can't always get what you want
You can't always get what you want
You can't always get what you want
And if you try sometime you find
You get what you need
I saw her today at the reception
A glass of wine in her hand
I knew she was gonna meet her connection
At her feet was her footloose man
You can't always get what you want
You can't always get what you want
You can't always get what you want
But if you try sometimes you might find
You get what you need
Oh yeah, hey hey hey, oh...
And I went down to the demonstration
To get my fair share of abuse
Singing, "We're gonna vent our frustration
If we don't we're gonna blow a 50-amp fuse
"Sing it to me now...You can't always get what you want
You can't always get what you want
You can't always get what you want
But if you try sometimes well you just might find
You get what you need
Oh baby, yeah, yeah!
I went down to the Chelsea drugstore
To get your prescription filled
I was standing in line with Mr. Jimmy
And man, did he look pretty ill
We decided that we would have a soda
My favorite flavor, cherry red
I sung my song to Mr. Jimmy
Yeah, and he said one word to me, and that was "dead"
I said to himYou can't always get what you want, no!
You can't always get what you want (tell ya baby)
You can't always get what you want (no)
But if you try sometimes you just might find
You get what you needOh yes! Woo!
You get what you need--yeah, oh baby!Oh yeah!
I saw her today at the reception
In her glass was a bleeding man
She was practiced at the art of deception
Well I could tell by her blood-stained hands
You can't always get what you want
You can't always get what you want
You can't always get what you want
But if you try sometimes you just might find
You just might findYou get what you need
You can't always get what you want (no, no baby
)You can't always get what you want
You can't always get what you want
But if you try sometimes you just might find
You just might find
You get what you need, ah yes...

E com esta me vou. Então bom fim de semana. E já agora vão ao cinema. E ouçam música.

10 comentários:

jasmimdomeuquintal disse...

Olá Leonor
Tenho estado ausente. Vim deixar um beijinho e dizer que vou ao cinema e ouvir musica também...
Bjocas e bom fim de semana

Jorge P.G Sineiro disse...

Grande banda, os Stones!

Boas sugestões, cinema, música, a que acrescentaria a leitura.

Bom fim-de-semana de descanso.

Paulo Tomás Neves disse...

Os Stones são uma boa evocação, e o tema escolhido um dos melhores.

Destes três do Scorcese só vi o The Band – The last Waltz (perfeito!).

Bom fim-de-semana, com música que pode bem ser esta

Oliver Pickwick disse...

Sou fanático pelo rock inglês. Porém, jamais "engoli" os Rolling Stones. O Jagger é um cantor razoável, mas não há nenhuma virtuose instrumental nesta banda. Acredito que sobrevivem por tanto tempo, graças à utilização de um marketing poderoso e os escândalos "programados".
Scorsese, apesar do talento, por mais que faça, não vai melhorar o timing da banda.
Um beijo!

Jorge P.G Sineiro disse...

PARABÉNS MAMÃ! (se for o caso)

UM DIA FELIZ!

Leonor disse...

Olá jasmim

pois tens, tenho sentido a falta dos teus posts. boa música, bom sossego

beijinhos

Leonor disse...

Jorge~

Pois são, para mim são.

mas este fim de semana foi mesmo sem leitura,´só ar livre (tb preciso), passeio, música e cinema.

boa semana que começa

Leonor disse...

Paulo (posso tratá-lo assim?)

ontem fui ao cinema (ver o Del Toro)e, nem de propósito, na apresentação deste filme, tocavam esta música...
Mas sempre foi um dos temas que mais gostei deles.
Quanto ao The last Waltz, concordo consigo, ainda me consigo lembrar perfeitamente de partes do filme, embora nunca mais o tivesse revisto.

Muito obrigada pelo video que me deixou. Só lhe digo que ainda fiquei a pensar que era uma cantora que não conhecia... aquele h e pelos vistos estar a precisar de mais um dia de descanso...
Ligar o fado e os blues tb é uma ideia interessante. Tenho estado aqui a pensar que, se não estou em erro o Scorcese tb fez um filme qualquer sobre a origem dos blues, mas como emprestei os DVDs não posso confirmar. mas ligando ao Fado do Carlos Saura é capaz de dar qualquer coisa interessante.

boa semana

Leonor disse...

Oh Oliver, não ouço os Stones pelas qualidade vocais do Mick Jagger:)) que admito não são nada de especial, claro.

Não me diga que a letra da música não lhe diz nada??

mas tb, se gostassemos todos do mesmo é que era chato

boa semana, beijos

Leonor disse...

Jorge

muito obrigada pela lembrança. Tenha uma boa semana