quinta-feira, 13 de março de 2008

Et maintenant por Gilbert Bécaud ou o Bolero de Ravel ao contrário

Por uma dessas circunstâncias felizes da vida que é a nossa capacidade de estabelecermos amizades e troca de conhecimentos com outras pessoas ao longo do tempo, foi-me recentemente apresentado o Concerto para piano em Sol Maior de Maurice Ravel, que desconhecia.

Mas como uma descoberta nunca vem só, tive hoje de manhã uma conversa algo pitoresca sobre as influências do Bolero de Ravel… que chegou ao Et maintenant de Gilbert Bécaud.
Que por sinal também desconhecia, mas tratei de colmatar a falha.

Aqui deixo a letra e música.

Et maintenant que vais-je faire
De tout ce temps que sera ma vie
De tous ces gens qui m'indiffèrent
Maintenant que tu es partie
Toutes ces nuits, pourquoi pour qui
Et ce matin qui revient pour rien
Ce cœur qui bat, pour qui, pourquoi
Qui bat trop fort, trop fort
Et maintenant que vais-je faire
Vers quel néant glissera ma vie
Tu m'as laissé la terre entière
Mais la terre sans toi c'est petit
Vous, mes amis, soyez gentils
Vous savez bien que l'on n'y peut rien
Même Paris crève d'ennui
Toutes ses rues me tuent
Et maintenant que vais-je faire
Je vais en rire pour ne plus pleurer
Je vais brûler des nuits entières
Au matin je te haïrai
Et puis un soir dans mon miroir
Je verrai bien la fin du chemin
Pas une fleur et pas de pleurs
Au moment de l'adieu
Je n'ai vraiment plus rien à faire
Je n'ai vraiment plus rien ...

E os meus agradecimentos a quem de direito. Tem sido um prazer conhecê-la e poder conversar consigo cidadã G.


8 comentários:

Ka disse...

Leonor,

Tentei ir ao link que aqui puseste ouvir o concerto para piano mas já não dá para ouvir...uma pena. Tenho uma certa curiosidade em ouvir e por isso terei de pesquisar na net a ver se encontro em algum lado :)

Beijinho

Leonor disse...

Ka

Oops... vou ver se encontro outro. Mas sei de de certeza, onde podes ouvir: é o da Amazon francesa, que eu não quis linkar por motivos óbvios...
mas olha que vale a pena.
já tentei comprar por cá mas não encontro, estou a ver que tenho que mandar vir pela dita cuja de qualquer forma

beijinho, bom fim de semana

Paula Crespo disse...

Et maintenant é uma daquelas canções que a minha memória tem guardada - vá lá saber-se porquê! - e com que recorrentemente me presenteia. De vez em quando dou por mim a trauteá-la...

Leonor disse...

caramba Paula, pois olha que eu nem desconfiava da sua existência...

Aliás quando G. se me referiu a propósito do Ravel, eu nem estava a perceber a ligação, e só atingi quando ouvi... estou a ver que os meus conhecimentos de música francesa estão pelas ruas da amargura, porque G tb sabia a letra de cor e insistia que eu tb devia saber...

... e tb tentou ligar ao my way cantado pelo Frank Sinatra, o que implicou, da minha parte (a conversa era ao telefone) trautear um pouco dessa para ver se era a mesma ou não, já que eu estava completamente às escuras...
Ficou a ganhar quem me ouviu ao vivo, claro, e logo pela manhã. Neste caso T.

Anónimo disse...

Puxa como é divertido entrar em um blog e saber que muito mais gente pesquisas belezas musicais... como et maintenant. Lembro dessa música como fundo musical de um filme frances que assisi na infância
Onde um casal jovem depois de passar milhoes de desencontros cada um do seu lado se encontram num avião e as duas malas caminha pela esteira do aeroporto juntas
Quem sabe que filme é esse?
Década de 70, será?

Anónimo disse...

Olá! Estou justamente procurando o nome desse filme.Se alguém souber...

Anónimo disse...

É um filme de Claude Lelouch de 1974 e chama-se "Toute une vie". Um clip do filme, mostrando a cena das malas na esteira com a música do Gilbert Becaud ao fundo pode ser vista no youtube. Pesquise por: Claude Lelouch "Toute une Vie" (1974)

Anónimo disse...

Um dos melhores filmes que já assisti. Há tempos tento revê-lo. Descobri que está disponível no site Submarino. Recomendo