domingo, 26 de abril de 2009

Nuno Álvares Pereira, o Santo Condestável

.
.

E no dia da sua canonização, vale a pena pensar numa personagem fascinante da nossa história: Nuno Álvares Pereira.
.
Para isso, nada melhor do que ler o que foi registado na sua Crónica do Condestável, disponível na Biblioteca Nacional Digital.
.
ou visitar a exposição a ele dedicada pela Biblioteca Nacional.
.
.
e, se não for pedir muito, reler Fernão Lopes!!!
.
Bom domingo!

8 comentários:

Je Vois la Vie en Vert disse...

É fascinante mesmo esta renúncia para se dedicar aos outros !
Não há dúvida que quando há um chamamento de Deus e que estamos atentos, acontece uma reviravolta na vida das pessoas.
Posso testemunhar disso mas num nível muito mais humilde e depois desta chamamento, mesmo no meio das pedras no meu caminho, encontrei a felicidade.

Beijinhos

Verdinha

BlueVelvet disse...

Gostei mesmo da ironia " se não for pedir muito reler Fernão Lopes".
palpita-me que as gerações de jovens desde os meus filhos, nem desconfiam quem foi.
Os meus sabem porque lhes enfiei os livros na cabeça:)
Beijinhos

Oliver Pickwick disse...

Jamais ouvira falar deste santo. Afinal, são tantos que até comprometem a credibilidade deste "título". Cliquei no link que indicou e conheci um pouco da sua vida. Com ou sem religiosidade, o homem é merecedor de homenagens.
Um beijo!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Também eu não conhecia este santo.
Agora conheci sobre ele.
Suas postagem sempre impecáveis, gosto daqui.
Uma ótima semana para você.
beijos
Apareça.

Francisco disse...

Olá Leonor
De facto, muito humor na tirada até Fernão Lopes, subentendidos também Rui de Pina e, claro, Gomes Eanes de Azurara.
Continuição de boa recuperação.
Um abraço
Francisco

Jorge P.G disse...

Não discuto aigura histórica de Nuno Álvares Pereira.
Discuto, sim, a sua canonização com base num suposto milagre em que me recuso a crer, bem como o facto de outros de vida impoluta e ao serviço da humanidade como o Padre Cruz ou o Padre américo, por exemplo, justificarem mais essa canonização.
Nuno Álvares Pereira andou de armas na mão e matou, ou não? Um dos 10 Mandamentos, pelo menos, não foi por ele cumprido.

Quanto a Fernão Lopes, li-o há mais de 40 anos, reli-o quando precisei e não sinto necessidade de o fazer agora.
contudo, um cronista é um homem e está sujeito às fraquezas de todos os homens, sem que isto esteja directamente aplicado ao cronista em questão.

Cumprimentos, que hã muito a não vejo.
Bom fim-de-semana e, se está em convalescença de alguma maleita, as suas rápidas e boas melhoras.

Jorge P.G.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

PASSATEMPO/CONCURSO

Está a decorrer n’A Minha Travessa do Ferreira, um novo passatempo/concurso sobre o tema Frases feitas. Vai até sexta-feira, 8.

Há prémios diversos para os três vencedores, incluindo os «prémios/mistério» que têm sido muito bem acolhidos por que os tem ganho.

Se quiseres dar lá um saltinho e tentar a sorte – muito obrigado. E passa a informação aos teus amigos e correspondentes, por favor. Lá te espero e a eles também…

Qjs

legivel disse...

... nada tenho contra Nuno Álvares Pereira e as sua opções de vida: de assanhado militar a pastor de almas. Que foi uma figura incontornável da nossa história, de acordo.
O que me causa espécie, é este afã nacional (e não único, que no dia em que foi canonizada muitos outros e de outros paises o foram) do reconhecimento oficial de homem santo. Peço desculpa da forçada comparação, mas tal afã, mais me parece uma corrida às medalhas olímpicas da beatitude que outra coisa, sobretudo quando responsáveis figuras da política lusa, afirmam que o reconhecimento "levanta bem alto o nome de Portugal". Enfim, com a crise bem instalada, entendem-se estes "momentos" de apaziguamento espiritual...

Sorrisos e um óptimo domingo.