segunda-feira, 7 de julho de 2008

E caminhando pelos meus próprios passos



Eis um livro que dificilmente resistiria a ler:

Se não puder dançar, esta não é a minha revolução: aspectos da vida de Emma Goldman de Clara Queiroz, da Assírio & Alvim

Não porque o nome de Emma Goldman me fosse, até então, familiar, confesso. Mas passou a ser.

«É uma mulher que acredita na sua causa e sente-a com uma intensidade concentrada. É o padrão com que mede todos os valores. Não vê no mundo mais nada que não seja o que deve ser remodelado em qualquer forma próxima do seu desejo profundo. E o que é esse desejo? Liberdade – liberdade absoluta, incondicional, não agressiva. Isso é Anarquia […]»
William Marion Reedy, 1908

«Emma Goldman “nunca reclamou direitos iguais. Comportou-se como igual” afirmou Mollie Steimer.»

«”Por uma questão de principio, porque você é Emma Goldman”, foi como um polícia uma vez lhe explicou por que a prendia.»
E, como «A revolução volta e tornará a voltar e proclamará: eu fui, eu sou, eu serei(1)», o melhor é mesmo ficarem a saber (se quiserem, claro) algo mais da vida desta interessante personagem. Uma leitura a não perder.
(1) Rosa Luxemburgo

5 comentários:

jasmimdomeuquintal disse...

bem naõ sei como me vou arranjar com tanta leitura.

Teté disse...

É mais um, mas a lista de espera já é comprida...

Coitada da Rosa, que teve uma triste morte por defender os seus ideais!

Leonor disse...

Jasmim

estou a ficar perigosamente co esse problema... devias ver o que tenho para levar de férias...

enfim, a culpa é, por ordem decrescente:
1 º - dos autores, que escrevem os livros
2º - das editoras, que os colocam à venda
3º - de algumas livrarias, que parece fazerem de propósito para porem os livros que me podem interessar à frente do meu nariz

a solução é mesmo não entrar... o que também é dificil: gosto de ficar a saber as novidades
(cada maluco com a sua mania)
bsj

Leonor disse...

Teté

pois, quanto à lista compreendo-te perfeitamente.

Às vezes as vidas não reflectem ou não merecem as pessoas, (embora isto seja um grande disparate) mas as ideias, essas ficam. E a frase é linda:)))

BlueVelvet disse...

Mais um para acrescentar à lista.
E há coisas fantásticas: durante 4 anos Rochester foi a minha 2ª casa.
Beijinhos